sábado, 30 de abril de 2011

Frida Kahlo e seus cachorrinhos

Frida Kahlo e seus cachorrinhos da raça "Itzcuintli", ou nahuatl (idioma indígena mexicano) , ou xoloitzcuintli ou xoloitzcuintle, tepeitzcuintli ou Mexican Hairless ou "Pelado Mexicano".
Telas pintadas por ela. Diversas telas de Frida ela se coloca junto a vários animais. Lindos!!
Bjks Cecília.
Fonte Telas: http://www.fridakahlo.com/
Fonte Fotos: http://dreamdogsart.typepad.com/art/2008/04/frida-kahlo-her.html

Billie Holiday e seu cão Mister

Farei uma série sobre divas, artistas, cantoras e seus pets, enfim grandes mulheres!
Mulheres que admiro! Sinceramente atrás de uma grande mulher tem sempre um querido cachorro!!
Começando com a Diva Billie Holiday e seu boxer Mister.
Olhando bem para o fofo tá mais para um american pit bull terrier... mas que ele é lindo, isso é indiscutível!!
Bjks Cecília.
Fonte: http://internet-pets.blogspot.com/2009/02/beautiful-lady-and-her-dog.html

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Dachshund Sparky surdo aprende linguagem de sinais

Sparky foi devolvido por duas famílias e quase foi submetido a eutanásia, até encontrar uma dona amorosa para educá-lo Cuidar de um animal de estimação exige uma série de cuidados, mas no caso do Dachshund Sparky, foi necessário um pouco mais de atenção. Isso porque o cãozinho malhado e de olhos azuis é deficiente auditivo e precisou aprender a linguagem de sinais para finalmente conseguir ser adotado.
Segundo o site da revista People Pets o animal foi devolvido ao mesmo abrigo, no Missouri, EUA, por duas vezes. Isso porque seus donos não tinham paciência com o animal, que não correspondia aos comandos ensinados. Em entrevista à publicação, Marsha Martin, gerente do Abrigo de Animais do Município do Texas, disse que já não sabia mais o que fazer para que o cãozinho se adaptasse em algum lar.
Foi então que a americana decidiu inscrever Sparky em um programa financiado pelo governo que adestra animais com problemas para que eles sejam adotados com mais facilidade. Apesar de esta ter sido a primeira vez que o grupo Puppies for Parole precisou treinar um animal deficiente auditivo, a missão foi aceita e rapidamente o dachshund aprendeu comandos por meio da linguagem de sinais.
Não demorou muito para que o cãozinho encontrasse um lar adequado. Segundo a publicação, coube a Barbara Garrison, diretora da Escola para Surdos de Missouri, adotar o bichinho. Agora, Sparky convive com outros quatro dachshunds, no campus da escola, onde recebe o carinho e afagos de crianças, que como ele, sofrem de deficiência auditiva. “Sparky é mais que nossa inspiração, ele é nosso amigo”, declarou Michael Miller, estudante de 18 anos, a um intérprete.
Fonte: http://petmag.uol.com.br/noticias/dachshund-surdo-aprende-linguagem-de-sinais/

Ganso tornou-se guia de cão cego

Buttons, um ganso fêmea de quatro anos, tornou-se o amigo inseparável de um boxer cego. Segundo a edição inglesa do jornal Metro, Buttons conduz Bak para todo o lado, quer colocando o seu pescoço por cima dele, quer grasnando para que ele saiba para onde ir.
Renata Kursa, de 47 anos, residente em Lublin, na Polónia, ficou destroçada quando Bak ficou cego, devido a um acidente de viação, no ano passado. "Mas, gradualmente, Buttons começou a tomar conta dele e a passear com ele por todo o lado. Agora, são inseparáveis e até perseguem o carteiro juntos", conta.
Fonte: http://www.jn.pt/blogs/osbichos/archive/2011/04/22/ganso-tornou-se-guia-de-c-227-o-cego-na-pol-243-nia.aspx

terça-feira, 26 de abril de 2011

Cachorros observam como as pessoas se tratam para "julgar" o caráter delas...

Melhor amigo do homem usa o tom de voz para escolher indivíduo mais gentil.
Os cachorros são muito bons em interpretar interações sociais entre as pessoas. Essa foi a conclusão de Sarah Marshall-Pescini, da Universidade de Milão, na Itália, que testou a inteligência canina.
Os cientistas já sabiam que o melhor amigo do homem fica de mau humor quando é tratado de forma injusta e que sabe quando está sendo observado. Sabiam, inclusive, que alguns cães até aprendem o significado de mais de mil palavras.
Mas o que não se sabia era que os cachorros conseguem tirar conclusões sobre o caráter das pessoas simplesmente ao observar como elas tratam umas às outras. A informação foi revelada nesta quarta-feira (13) pela revista científica New Scientist.
Para mostrar como os cachorros são bons em "estudar" os humanos, Sarah e sua equipe fizeram os animais observar com que rapidez dois atores repartiam cereais e pequenos pedaços de salsicha com um mendigo que apareceu implorando por um pedaço.
Depois que o mendigo foi enxotado com um gesto duro e um sonoro “Não!” ou recebeu um petisco saboroso junto com algumas palavras amigáveis, os cachorros puderam escolher de qual ator queriam se aproximar.
Em dois terços das tentativas, os cachorros foram direto para a pessoa generosa. E não se tratava de uma preferência pela voz mais amigável. Se o mendigo não estava presente e os cachorros não conseguiam distinguir quem era mais generoso, eles não tendiam mais a se aproximar do ator com voz gentil do que daquele que tinha uma voz mais dura.
No entanto, tudo indica que os cachorros usavam o tom de voz para julgar o caráter porque, quando os atores usaram apenas gestos, os cães tiveram muito mais dificuldade para escolher o mais gentil.
- Ficamos surpresos ao descobrir que a voz tinha mais impacto do que os gestos, explicou Sarah, acrescentando que até agora a maioria dos estudos sugeria que os cães eram mais observadores talentosos do que bons ouvintes.
Os pesquisadores dizem que as habilidades psicológicas dos cães foram desenvolvidas durante o processo de domesticação.
Fonte: http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/caes-observam-como-as-pessoas-se-tratam-para-julgar-o-carater-delas-20110414.html

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Paciência de um Labrador...

video
Leitores queridos, recebi este video de uma amiga, a Aline Cherubini, é lindo!!
Este labrador é um anjo!!
Aliás dois anjos!
Assistam e a música é de tudo de bom!
Bjks Cecília.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Projeto de lei cria Secretaria Especial dos Direitos Animais

O prefeito José Fortunati e a primeira-dama, Regina Becker, entregam amanhã, 13, à presidente da Câmara Municipal, Sofia Cavedon, o projeto de lei que cria a Secretaria Especial dos Direitos Animais (Seda). O encontro será às 11h, no Palácio Aloysio Filho.
O objetivo da nova secretaria é estabelecer e executar políticas públicas destinadas à saúde, proteção, defesa e bem-estar animal. A nova pasta terá a incumbência de gerir as ações do Executivo em desenvolvimento e futuras, voltadas aos animais, como o Projeto Bicho Amigo, que atua no controle reprodutivo de cães e gatos, o combate aos maus-tratos, o projeto Ressocializa, a educação ambiental e a campanha da guarda responsável.
O projeto de lei prevê, entre as competências da secretaria, a articulação e promoção de políticas para os animais, mediante interlocução com a sociedade civil, agências nacionais e internacionais e com o poder público.
Fonte: http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=140193&PROJETO+DE+LEI+CRIA+SECRETARIA+ESPECIAL+DOS+DIREITOS+ANIMAIS

Cachorra é guia de parceiro cego!!

Um casal de cães em um refúgio em Devon tem uma razão especial para ficar juntos - um age como um guia para o outro.
Cinco anos atrás, Jack Russell Terrier Zac perdeu a visão após uma infecção, e agora ele depende de sua amiga Lilli para se locomover.
Eles foram dados para a Casa Cruz Azul, que cuida de cães em Tiverton, Devon pelo seu proprietário, que estava emigrando.
Agora, o par, que foram companheiros desde que eram filhotes, estão procurando um novo lar.
Os cães, que vieram para o refúgio, em 30 de março, viviam juntos em Somerset até que seu dono emigrou para os EUA.
Personagens amáveis
Sarah Bussell da equipe de caridade Cruz Azul, disse que os cães tinham desenvolvido um relacionamento íntimo.
"Lilli assumiu um papel tranqüilizador na vida de Zac, e ele fica definitivamente mais seguro quando Lilli esta por aí", disse ela.
"Ele pode sentir o cheiro e segui-la. Ela é como um guia natural para ele.
"A relação deles é sobre a confiança Zac em Lilli. É muito doce."
A equipe de caridade está procurando um novo lar para o casal.
"Eles são adoráveis ​​personagens", disse a Sra. Bussell.
"Apesar da deficiência de Zac, ele vive uma vida feliz com Lilli, há alguém que poderia se encontrar com dois companheiros realmente adoráveis."
Fonte: http://www.bbc.co.uk/news/uk-england-devon-13036316

terça-feira, 12 de abril de 2011

Escolha brinquedos seguros para seu cão

Queridos leitores vamos cuidar dos brinquedos que damos para nossos cães, alguns bastante comuns são perigosos. Cães de porte grande podem sim se asfixiar e morrer com uma "inofensiva" bola de tênis!!
Portanto cuidado!
Bjks Cecília
Brinquedos para cães
Eles fazem o mundo girar. Eles fazem pular, rolar e subir. São objetos que inspiram jogos, enriquecem a formação, diminuem o tédio e reduzem problemas de comportamento. Brinquedos, segundo os especialistas, são um "must-have".
Apesar dos constantes comentários da mídia sobre quanto mimamos nossos animais de estimação, os brinquedos não são somente luxo. Especialistas dizem que os cães precisam deles, e precisam mais de um tipo. Isso não significa mais sinos e assobios, apenas diferentes tipos. Os brinquedos podem melhorar um dia ruim, como uma bola anti-stress que você aperta quando você está louco. Um filhote pode satisfazer os instintos mais suave. Frisbees, bolas e cordas são maneiras de compartilhar a diversão, enquanto brinquedos sibilantes gritam para o ataque.
A questão é: quais os brinquedos ideais? Com uma economia global de estimação, as opções e problemas, continuam crescendo. Em corredores de pets, os clientes são recebidos com todo o poder persuasivo de um infomercial. Brilhante, objeto embalado, mas não inspecionado. O texto legível é principalmente de publicidade, e não informação. "As embalagens destes produtos é incrível e totalmente enganadora", diz Pattie Boden, proprietário da Conexão Animal em Charlottesville, Virgínia Boden, que é exigente quanto a terceirização de segurança, brinquedos naturais para o estoque dela prateleiras, diz que uma carreira de 25 anos na publicidade fez dela uma cética.
Infelizmente para cães e proprietários, fabricação de brinquedos para animais de estimação se baseia no sistema de honra, para as empresas menos escrupulosos, é julgamento por erro. Em alguns casos, até mesmo erros (descoberto através de queixas dos consumidores) são ignorados. Escolha descuidada e nossos cães pode pagar o custo escondido. Entre os riscos estão mais familiarizados asfixia e obstrução do estômago. Partículas, peças, bem como pode ser ingerida, e desde filhotes usam suas bocas para jogar, materiais tóxicos e revestimentos também representar um risco. No entanto, a FDA(Food and Drug Administration) não regulamenta os brinquedos do cão, e a Consumer Product Safety Commission só regula brinquedos para animais de estimação que podem ser provados para colocar os consumidores (pessoas, não os cães) em risco.
Essa realidade bate forte quando um amado animal é ferido em jogo. Uma história de horror se tornou notícia após língua de um cão estava preso em um buraco em uma bola, exigindo longa e dolorosa intervenção médica e, finalmente, a amputação da língua. O proprietário ficou chocado ao saber que este não foi o primeiro desses cães incidente outras tinham sido prejudicados, mesmo morto, pelo mesmo brinquedo. A empresa, quatro patas, eventualmente, recordou alguns dos seus brinquedos, de acordo com seu website.
Denise Smalt, uma treinadora em Nova York, emite um aviso sobre a bola de tênis de aparência inofensiva. Oito anos atrás, vendeu um pastor, o Smalt, para um casal. "Mesmo que eu diga para todos, do filhote de cachorro até o adulto, assim como todos os meus alunos de obediência, digo como bolas de tênis são perigosas para as raças de grande porte, mesmo assim ainda deixam seus cães brincarem com bolas de tênis. Aos dois anos de idade, o cão Smalt, asfixiado até a morte com uma bola de tênis na frente de seu dono. Eu uso a sua história para ajudar a salvar outros ", diz ela.
As preocupações não terminam com ferimentos e perigos de asfixia. Apesar de corantes, conservantes e resíduos químicos não são nada novo, uma cadeia de substâncias tóxicas vindas das importações chinesas gerou novas preocupações. Testes conduzidos pela ConsumerAffairs.com encontrou uma variedade de brinquedos tradicionais contaminado com metais pesados ​​tóxicos como chumbo, cádmio e cromo. A partir de agentes de câncer aos venenos neurológicos, estes produtos químicos são liberados dos brinquedos afetados quando os cães lambem e mastigam, segundo o Dr. Ernest Lykissa, o toxicologista que os avaliou. Outro brinquedo carregado de chumbo é feita de material de látex-a às vezes recomendado no lugar de plástico, que podem conter ftalatos e BPA (disruptores hormonais). Somando-se o problema da contaminação é a escassez de dados sobre a toxicidade para cães. Qual é considerada segura para uma criança de 40 libras pode ser mortal para um chihuahua meio litro.
"Por favor, não pense que porque as coisas são feitas de que os EUA são seguros", Ann Martin, autor de Alimentos Animais Die For , uma exposição da indústria de alimentos para animais de estimação, aconselha. "O recordatório alimentar de animais de estimação em massa é um bom exemplo. Eles não se incomodaram testar qualquer uma das matérias-primas de entrar nesses alimentos, daí, numerosos cães e gatos adoeceram ou morreram ".
Ainda assim, a percepção é que nos EUA significa ainda que é feito de forma mais segura . Em uma feira de  produtos para animais de estimação Backer HH, em Baltimore, Pattie Boden parecia difícil encontrar novos brinquedos feitos nos EUA, ela encontrou apenas um. Ironicamente, a única certificação de brinquedos orgânicos que pôde encontrar foi feito na China. Mas nos EUA poucas empresas estão realmente produzindo brinquedos de qualidade, e quanto menor o caminho da produção, melhor. Algumas empresas utilizam materiais reciclados (embora isso não é sinônimo de segurança dos brinquedos, é melhor para o planeta). E uma empresa focada na "terra-friendly" produtos tem mais chances de evitar problemas com materiais tóxicos.
O que torna um brinquedo especial para um cão pode escapar à lógica humana, mas sabendo que seu cão pode ajudá-lo a fazer escolhas mais sábias.
Tecnicamente, os cães não mastigam brinquedos, mas sim, rasgam e cortam-os como se fossem presas, usando os seus pré-molares e molares. Estes dentes estão situados mais para trás na boca, e qualquer brinquedo que encontra o seu caminho para este conjunto de "moinhos" é uma potencial vítima, assim que olhar para os brinquedos, de forma adequada ao tamanho do seu cão não pode trabalhar à volta de sua mandíbula. Martin se baseia no estilo de seu cão Kodi jogar para escolher seus brinquedos. O Terra Nova 160-libra é um mastigador de energia que "come e não brinca com brinquedos. Ele tem alguns brinquedos muito bons que ele não destruiu ", diz ela. A maioria de seus brinquedos. "É o tipo de borracha resistente". O que determina a compra não é o tamanho do cão, mas seu comportamento, um pequeno cão pode ser um devorador, assim como uma raça gigante pode ser gentil com os brinquedos.
Significa tb escolher brinquedos baseados em sua fase de vida. Um cão que é dentição é antiga, não vai jogar com um brinquedo para filhotes. Um adolescente anseia por brinquedos diferentes do que um cão adulto plácido.
Antes de comprar, use os seus sentidos:
  • Química forte, cheiro indicam resíduos químicos.
  • Tecidos brilhantemente tingidos, podem conter ingredientes tóxicos e corantes, lixiviação quando molhados. (Tinturas de tecido não são testados para o consumo.)
  • Evite brinquedos tratados com retardadores de fogo ou guarda mancha, pois podem conter formaldeído e outros produtos químicos.
  • Leiam os rótulos de estudo e visite os sites dos fabricantes "para informações adicionais", empresas conscienciosas são transparentes sobre seus processos.
Seguro e divertido: duas palavras que muitas vezes colidem em um mundo cão, onde as bordas misteriosas e costuras frágeis pode fazer os objetos mais atraentes. Enquanto a indústria de brinquedos é um "playground desacompanhado", cabe aos proprietários com amor manter seus olhos na bola ... e anel e etc.
Aqui estão algumas empresas que fazem brinquedos de forma séria:
Go Dog
brinquedos de pelúcia realistas que vai empolgar a maioria dos cães, mas não são adequados para os agressivos. Um processo novo (Chew tecnologia da Guarda) foi adicionada a alguns produtos recheados, permitindo-lhes resistir aos jogos mais rigorosos. Os brinquedos, fabricados na China, estão com costura dupla, reforçada e lavável na máquina. "New Material Only", significa que o produto não é fabricado a partir de reprocessamento vinil, tecido ou plástico.
Empresa Kong
Kong é feito no Colorado, e todos os seus produtos são de borracha, são feitos os EUA. O Kong original, é um deleite, quase indestrutível objeto com um salto de estranho. O Flyer Kong, um disco de borracha macia, é top em equipamentos Frisbee. Os brinquedos sibilantes não resistem ao poder dos agressivos, mas o apito permanece em segurança no interior do brinquedo. Seu site oferece uma busca de raças para ajudar os clientes a determinar o tamanho certo do brinquedo.
Nina Zoo Ottosson Active
Esses quebra-cabeças de madeira original operam com o princípio de que os cães realmente gostam de trabalhar. Chewers Power também pode descobrir que a força bruta não é tão eficiente quanto usar o nariz. jogos interativos Esta empresa é sueca e os brinquedos estão disponíveis nos EUA.
Planet Dog
A "baseado em valores" Maine empresa que oferece um espectro completo de busca, atóxico, reciclável brinquedos feitos nos EUA. Comprar por fase da vida: Tudo o que um cão poderia querer está aqui, recheado Alphabet Blocks para Slobber Wicks para idosos. Os brinquedos Orbee-Tuff, a partir do TUG, com o seu poderoso "pega-flip" da tecnologia, esponjoso dos ossos do bebê em tons pastel, vêm em uma variedade de forças; mastigar no site "Chew-O-Meter" é uma escala para determinar o comportamento e a resistência do brinquedo do seu cão.
Oeste Design Paw
Esta empresa fica em Montana, centra-se na produção são respeitadores do meio ambiente. "Zogoflex" é um material resistente e flexível de propriedade, que utiliza 10 por cento dos resíduos pós-industriais. Embora afirmando que o "verde" pode soar tão apetitoso como "comer seus verdes", os brinquedos são recicláveis ​​(se voltou para a empresa). Zogoflex é anunciado como não tóxico, FDA-complacentes e livre de "todas as fontes conhecidas de chumbo, cádmio, mercúrio, látex, borracha natural, ftalatos, hormônios, bisfenol A, ou amianto." O Tux tem um lábio interno para ocultar biscoitos, adicionando outra camada de diversão e desafio. brinquedos resistentes para cães agressivos.
Por aqui, no Brasil, indico a Bitcão! Têm tudo neste site!!
Por Sheila Pell.
DICAS:
  • Evite as bolas com buracos de ar simples, que pode criar uma armadilha mortal de sucção; paus e pedras; brinquedos fortemente tingidos, brinquedos tratados com retardadores de fogo ou guarda mancha, plásticos moles.
  • Supervisionar a execução.
  • Escolha brinquedos para ajustar ao tamanho do seu cão e evitar aqueles que podem trabalhar na parte de trás da boca.
  • Escolha brinquedos que combinam com o estilo do seu cão brincar.
  • Mantenha uma variedade de tipos de brinquedo na mão, para despertar o interesse do seu cão.
  • Não usar os brinquedos como um substituto para a interação.
Fonte: http://www.thebark.com/content/choosing-safe-dog-toys

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Hematozoários...

Vocês sabem o que são?
Sabem como prevenir?
Então leiam o texto abaixo, escrito pelo Vet. Carmello Liberato Thadei CRMV/SP 0442.
Bjks Cecília
HEMATOZOÁRIOS
Trypanosoma cruzi - Plasmódios - Babesia bigemina - Theileria parva - Babésia - Erlichias
São descritos em Parasitologia, que é a Ciência Biológica que estuda os seres vivos do reino animal que necessitam espoliarem outros seres vivos para poderem sobreviver, algumas espécies situados em posição inferior na escala zoológica, e que por serem unicelulares (protozoários) e parasitarem as células do sangue de seus hospedeiros são denominados de hematozoários.
Entre esses chamados hematozoários, devido sua real importância em medicina tanto veterinária quanto humana, destacam-se os seguintes:
1 - Trypanosoma cruzi - Causador da doença descrita pelo cientista brasileiro Carlos Chagas, e que por essa razão recebeu o nome de seu descobridor: Doença de Chagas. Devido sua importância, tratarei oportunamente dela em artigo específico, porém desde já é necessário ficar realçada a particularidade de não ser efetivamente esse protozoário um real hematozoário, já que embora circule no sangue de seus hospedeiros, tem predileção por parasitar células do tecido muscular, em especial aquelas do coração e denominadas miocárdicas, onde causa grave inflamação específica, por isso chamada de miocardite chagásica.
2 - Plasmódios: Plasmodium vivax; Plasmodium falciparum; Plasmodium malariae e Plasmodium ovale Stephens - Esses organismos unicelulares , todos eles causadores de doenças conhecidas por Malárias ou simplesmente Maleitas , são efetivos hematozoários pelo fato de parasitarem exclusivamente as células sangüíneas, em especial aquelas da linhagem vermelha denominadas hemácias . Ocorrem tanto no homem quanto em animais causando-lhes além de debilitação dos organismos em que se albergam como parasitas, também suas mortes quando não convenientemente tratados. Não tendo agora intenção deles tratar especificamente, voltarei ao assunto oportunamente em outro texto.
3 - Babesia bigemina, também chamado de Piroplasma begeminum, Pyrosoma, Apiosoma, ou Ixidioplasma. É esse protozoário parasita sanguíneo dos animais, causando-lhes a doença conhecida por Babesiose, Febre do Texas (Texas Fever), e no Brasil conhecida por Tristeza Bovina, já que são os animais da espécie bovina ou bubalina os mais atacados por esse hematozoário. Em seu ciclo parasitário esse protozoário parasita do sangue passa por um hospedeiro intermediário , quase sempre um carrapato, este podendo pertencer a várias espécies zoológicas. No Brasil é o carrapato conhecido por Boophilus o principal veiculador dessa doença para o gado vacum. Já nos Estados Unidos (Texas), esse hospedeiro intermediário do protozoário é do gênero zoológico Ixodes. Assim sendo, esse hematozoário em zoologia deve ser considerado como heteroxeno, já que em seu ciclo biológico passa por mais de um hospedeiro para cumprir seu ciclo parasitário, no caso, o carrapato como hospedeiro intermediário e uma espécie animal mamífera como hospedeira definitiva.
4 - Theileria parva, também denominada Piroplasma parvum, causa no gado bovino também doença parecida com a anterior, porém ocorrendo principalmente na África Oriental , daí a denominação da doença correspondente: Fébre da Costa Oriental da África. Difere da doença anterior (Tristesa Bovina), por ser causada por um protozoário específico, que também é diferente em sua biologia já que não pode ser transmitido de um animal a outro por meio de sangue contaminado como aquela, e também pelo fato de conferir aos animais que se curam uma imunidade duradoura, o que não ocorre com a Tristeza Bovina causada pela Babésia.
5 - Babésia caballi, também denominado Piroplasma equorum ou Nutalia. É o protozoário parasita do sangue dos animais pertencentes às espécies eqüinas , como o próprio cavalo. Essa doença ocorre mundialmente, sendo freqüente na Itália, França, Rússia e nos países balcânicos, assim como na África , Índia e também nos países sul americanos, inclusive o Brasil. Os hospedeiros intermediários (carrapato), pertencem ao gênero Dermacentor, sendo a espécie Dermacentor reticulatus o mais freqüentemente encontrado como disseminador da doença.
6 - Babésia ovis, também chamada por Babesiella ovis, causa em animais da espécie ovina doença similar a Tristeza bovina sendo os carrapatos pertencentes ao gênero Rhipicephalum os mais comumentementes encontrados como vetores e transmissores da doença denominada Babesiose Ovina . Ocorre na Rumania, Hungria, Alemanha, Bulgária e Rússia, e principalmente nos países situados na orla do mar Mediterrâneo.
7 - Babesia canis, também denominada Piroplasma canis, é morfologicamente semelhante àquelas que parasitam os animais das espécies bovina e eqüina, diferenciando-se apenas pelo fato de serem de tamanho maior e apresentarem-se no interior das hemácias em número de até 16 protozoários numa única célula vermelha do sangue circulante. Como hospedeiro intermediário foram já assinaladas várias espécies de carrapatos , entre os quais: Rhipicephalus sanguineus, tanto no Brasil como na Europa. Pelo fato de determinar nos cães parasitados sangramento pelas pontas das orelhas, recebia o nome de Nambi-Uvú por nossos indígenas, que em linguagem Tupi significa: Orelha que sangra. Os animais parasitados albergando esse protozoário em seu sangue circulante, principalmente no interior das hemácias, têm em conseqüência ao fim de curto período de tempo a ruptura desses glóbulos vermelhos, o que é chamado de lise sangüínea ou hemólise, e como conseqüência sobrevindo além de anemia do tipo hemolítico , também a presença do pigmento vermelho do sangue: a chamada Hemoglobina, dissolvida no próprio sangue , levando ao que é chamado de icterícia hemolítica. Determina mortalidade alta nos animais não tratados convenientemente.
8 - Erlichias, que como a anterior (Babésia), também parasitam os glóbulos vermelhos do sangue dos animais da espécie canina. São espécies de protozoários próximas às próprias Babésias, só destas diferenciadas mediante técnicas especiais biológicas. A doença correspondente é similar ao Nambiu-Uvú já assinalada por nossos indígenas.
DIAGNÓSTICO DAS DOENÇAS - É feito mediante coleta de sangue dos animais suspeitos, mediante picada com agulha diretamente da orelha. A quantidade mínima de uma gota é suficiente, a qual é estendida em esfregaço em lâmina de vidro, o qual após seco deve ser fixado pelo álcool metílico, e em seguida corado pelo método de Gimsa. Levada essa lâmina em seguida ao microscópio ótico, com utilização do maior aumento das objetiva e ocular com a chamada técnica de imersão, serão facilmente visualizados esses hematozoários situados no interior dos glóbulos vermelhos sangüíneos, quando positivo. A diferenciação dos diferentes hematozoários é feita pelas características morfológicas próprias desses parasitas , vistos na lâmina de sangue preparada pela técnica anteriormente descrita e pela espécie animal parasitada, além obviamente, dos outros sinais clínicos constatados no organismo doente.
SINAIS CLÍNICOS DAS DOENÇAS - Pelo fato desses parasitas do sangue determinarem lise dos glóbulos em que se situam como parasitas , ocorre em conseqüência diminuição do número relativo dessas hemácias , levando o animal parasitado a apresentar além de anemia também icterícia do tipo hemofílico. Disso resulta apatia do animal, o que valeu a doença o nome de Tristeza, e no caso daquelas que parasitam, cães, o sinal presente de hemorragia expontânea pelas pontas das orelhas . Referido sangramento ocorre em conseqüência da própria anemia causada pela doença nesses animais, o que inclusive pode levar o animal a morte quando não devidamente tratado a tempo. Animais intensamente parasitados chegam a ficar com as mucosas aparentes como aquela dos olhos (conjuntiva) e a própria mucosa da boca e gengivas completamente pálidas e mesmo esbranquiçadas, sinais esses que chamam a atenção do observador atento.
TRATAMENTO - Para cada tipo de hematozoário existe no mercado farmacêutico medicamento específico, o qual deve ser ministrado individualmente de acordo com o peso e idade do animal parasitado. Além disso medicação para regeneração dos glóbulos vermelhos deve também ser instituida, tais como sais ferrosos , quer como suplemento alimentar na ração ou mesmo mediante injeção muscular ou endovenosa. Conforme a gravidade do parasitismo o veterinário deverá indicar a medicação que melhor se enquadre no caso em questão.
PROFILAXIA - O combate ao hospedeiro intermediário é medida importante, e no caso de serem carrapatos esses hospedeiros transmissores, prescrição de banhos carrapaticidas, que podem ser quer com produtos a base de arsênico como se fazia antigamente, até os modernos produtos químicos fosforados e clorados. Para alguns tipos de Babésias de animais, como as chamadas Anaplasmas, existem também vacinas profiláticas, que podem ser ministradas quando os animais atingem em média um ano.
PREMUNIÇÃO CONTRA BABÉSIAS - Animais de alta linhagem genética, por serem mais sensíveis não apenas ao próprio carrapato como também a esses hematozoários, devem sofrer quarentena antes de serem levados para pastagens onde existam carrapatos contaminados, e durante essa mesma quarentena sofrerem o que é chamado de Premunição contra Tristeza, que nada mais é que inoculação de sangue onde estejam presentes glóbulos vermelhos parasitados por determinados hematozoários e durante a subsequente elevação térmica decorrente, receberem tratamento quimioterápico correspondente. Estabelecer-se-há dessa forma um equilíbrio biológico no animal que tenha sofrido essa premunição, entre a quantidade desses hematozoários no sangue e a própria capacidade desses animais de por sua própria capacidade biológica regenerarem suas hemácias lisadas, e com isso conviverem com os próprios carrapatos e os hematozoários de forma harmoniosa. Poder-se-ia chamar a essa situação de verdadeira Coexistência Pacífica. Determinadas raças de animais, como são o caso das raças zebuinas bovinas (Gir, Nelore, Guzerá, Indubrasil e seus mestiços), apresentam maior resistência a Tristeza Bovina . Já as raças oriundas do chamado boi europeu (Bos taurus), como a Holandesa, Chianina, etc. são altamente sensíveis a esses hematozoários, requerendo obrigatória Quarentena e Premunição quando importados de regiões ou países onde não existe o mal.
Dr. Carmello Liberato Thadei. Médico Veterinário.
PORTANTO CUIDADO COM O CARRAPATO!!
Fonte: http://www.saudeanimal.com.br/artig152.htm
Fonte da Imagem: http://www.cveuropa.com/layout.php?codigo=130&area=1&info=

Pinguim perde penas, mas ganha colete de proteção

O animal, o pinguim-de-humboldt,que há um ano sofre com a queda constante de sua penugem, pode nadar graças ao acessório impermeável. Veja a adaptação da ave com a roupinha, em Cingapura.
Fonte: http://entretenimento.r7.com/bichos/fotos/pinguim-perde-penas-mas-ganha-colete-de-protecao-20110404.html

Antílope bebê não fica quieto nem engessado...

Olhem esta fofura!
Fonte: http://entretenimento.r7.com/bichos/fotos/filhote-de-antilope-nao-fica-quieto-nem-mesmo-com-pata-engessada-20110404-1.html#fotos

Os animais mentem? Mentem sim...

Os animais também mentem?
Segundo a psicóloga e especialista em comportamento animal, Hannelore Fuchs, os bichinhos mentem sim, mas é uma mentira um pouco diferente da dos humanos. Ela conta que, na verdade, os bichos mais trapaceiam do que mentem. Um exemplo dado por ela é quando os cachorros fingem estar desinteressados em algum brinquedo e, quando o dono se afasta, o totó corre e pega o brinquedo de novo. Outro exemplo é quando os bichos, principalmente os cães, fingem estar mancando ou tossindo para chamar a atenção do dono.
A psicóloga ressalta que a mentira nada mais é que um situação social em que um quer tirar vantagem sobre o outro e exemplifica isso também quando um pássaro solta um grito de alerta aos outros companheiros do bando para que eles fujam e ele fique com a presa.
Hannelore também revela que os pets sabem quando mentimos para eles e cita o velho hábito de os donos prometerem algo aos bichos para que eles saiam do sofá ou de dentro de casa e não cumprem a promessa. “Quando o dono freqüentemente promete algo ao bicho e não cumpre, depois de algum tempo, os animais param de obedecer pois percebem que não há recompensa”, conta a especialista.
Fonte: http://petmag.uol.com.br/noticias/os-animais-mentem/

Cão volta abrir a boca após maus-tratos

Cão foi encontrado em estado grave e só conseguia abrir a boca por quatro milímetros
Zippy, um Golden Terrier, já pode voltar a sorrir. Depois de sofrer nas mãos de seu antigo dono, com apenas dois meses de vida, e ter as mandíbulas quebradas, o cão quase morreu de fome por não conseguir abrir a boca.
Agora, com dez meses e depois de passar por uma cirurgia para correção do problema, o cão já pode voltar a latir, informou o jornal britânico Daily Mail.
De acordo com Diane Mclelland, gerente do centro de realojamento onde Zippy está hospedado, o próximo passo é aguardar alguém que queira adotar o cãozinho.
Fonte: http://petmag.uol.com.br/noticias/cachorro-volta-a-abrir-a-boca-apos-maus-tratos/

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Ariel - Sinais de melhora nas patas traseiras

Após fazer quatro meses de fisioterapia, o leão Ariel apresentou alguns sinais de melhora nas patas traseiras. Em dezembro de 2010, o felino, que vive no Canil e Escola Emanuel, em Maringá, passou por uma cirurgia para descompressão de um coágulo na medula, que impedia a sua locomoção.
A veterinária responsável pelo tratamento, Lívia Pereira Texeira, diz que apesar da evolução, não sabe se o animal voltará a andar. "Não posso afirmar isso, eu estaria me comprometendo com algo que eu realmente não sei. O Ariel tem que recuperar toda a massa muscular e melhorar a contratura das patas. Existe uma série de obstáculos a ser vencidos, mas eu acredito que chegaremos no nosso objetivo", ressalta.
Lívia conta que Ariel desenvolveu sensibilidade nas patas traseiras e está conseguindo sentar. "No início ele não aguentava ficar nem três minutos nesta posição, agora suporta até meia hora. Ele também puxa as patas traseiras quando sente algum incômodo", relata.
A veterinária ressalta que o tratamento é lento e gradual, tal como uma pessoa que sofre um grave acidente. O animal faz várias horas de fisioterapia por dia, com diversos aparelhos, como raio laser, ultrassom, entre outros. "No momento estamos no dedicando mais a alongamentos, exercícios que estimulem a força muscular e hidroterapia. Como está chegando o inverno, colocamos um aquecedor na piscina, que irá ajudar muito no tratamento", ressalta.
Recentemente Ariel recebeu uma cadeira de rodas feita especialmente para ele, mas ela está sendo pouco utilizada no momento. "Como ele ficou muito tempo parado, as patas dianteiras dele, que iriam fazer a força de locomoção, ficaram fracas. Por isso estamos trabalhando a resistência desses músculos para depois, então, colocá-lo de novo na cadeira", explica.
O proprietário do animal, Ari Marcos Borges da Silva, ressalta que não existe a possibilidade de sacrificar o felino. "Andaram dizendo isso por aí, mas nós jamais vamos desistir do bicho. Ele é nosso xodó, não existe essa possibilidade", afirma.
Contrato
A reportagem não pode fazer fotos do animal, já que há um contrato assinado entre o dono do canil e uma emissora de televisão que garante exclusividade na exibição de imagens de Ariel.
Por Rubem Pimenta.
Fonte: http://maringa.odiario.com/maringa/noticia/407106/ariel-apresenta-sinais-de-melhora-mas-locomocao-e-incerta/
Fonte Imagem: http://carlaomaringa.blogspot.com/2011/01/leao-ariel-e-submetido-cirurgia.html

Urso Knut - Necropsia concluída

Após conjeturas de epilepsia congênita, a causa da morte de Knut, o urso polar do zoológico de Berlim, foi finalmente decretada: uma encefalite, provavelmente de origem viral, o fez ter espasmos, convulsionar e cair no lago de seu espaço dentro do zoológico, e na sequência, ele se afogou. Essa foi a conclusão da necropsia, divulgada hoje (1º).
O exame do urso de quatro anos de idade, que morreu repentinamente há duas semanas, mostrou que ele sofria de encefalite, que causa inchaço e irritação que provavelmente foram causados por uma infecção, disse a patologista Claudia Szentiks, que liderou a necropsia. A causa da infecção ainda não foi determinada, mas Achim Gruber, professor de veterinária da Universidade Livre de Berlim, acredita que se tratou de um vírus.
“Acreditamos que a infecção já estava presente há algum tempo… pelo menos várias semanas, possivelmente meses, “ diz Gruber, completando que não havia nada no comportamento do urso que mostrasse que estivesse doente.
Knut morreu em 19 de março, na frente de centenas de visitantes, quando teve espasmos e caiu na lagoa de sua jaula. Ursos polares vivem entre 15 e 20 anos, e até mais, quando em cativeiro.
Os especialistas que examinaram Knut encontraram quantidades maciças de água em seus pulmões, o que corrobora a conclusão que a causa imediata da morte foi afogamento. Mas eles afirmam que mesmo que o urso polar não tivesse caído na água, ele não teria sobrevivido: “Dado o tamanho da inflamação, Knut teria morrido mais cedo ou mais tarde – não seria possível salvá-lo,” disse a patologista Claudia, do Instituto Leibniz de Vida Selvagem, em Berlim.
O exame também descartou raiva, botulismo e encefalopatia bovia espongiforme, conhecida como doença da vaca louca, como possíveis causas da encefalite.
Grupos de direitos animais alegavam que Knut estava traumatizado por viver em um ambiente confinado. Mas Claudia disse aos repórteres que não havia nenhum sinal de stress crônico.
Os patologistas disseram que vão continuar procurando pela causa da doença de Knut, mas já afirmaram não haver nenhum sinal de defeitos genéticos.
Knut se tornou uma celebridade internacional em dezembro de 2006, quando foi rejeitado pela mãe após seu nascimento e perdeu seu irmão gêmeo. O filhote fofinho foi então acolhido pelo tratador Thomas Doerflein, e apareceu em capas de revistas, filmes e personificou milhares de souvenirs. Doerflein morreu em 2008 de um ataque cardíaco.
O Zoológico de Berlim agora quer empalhar Knut, e colocá-lo em exibição no Museu de História Natural em Berlim, onde deve ser integrado a uma exposição sobre mudanças climáticas. A iniciativa trouxe protestos de fãs do urso polar, que dizem que o zoo quer continuar se aproveitando do animal mesmo após sua morte.
Fontes: IG (com informações da AP e AFP) e ANDA .

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...